quarta-feira, junho 01, 2016

O olhar de quem nunca desistiu

Todo ano tem o dia dos namorados, cujo é essencialmente (como a maioria das datas) voltado ao comércio. É apenas mais um dia, mas nem por isso a gente deixa de comemorá-lo. 

Pensei em diversas opções, mas gostaria de algo diferente. Algo meu e dela, ao mesmo tempo. Produzi com muito esforço uma imagem que se tornará em quadro, no qual traz o olhar de quem nunca desistiu e nas coisas nas quais se agarrou para não cair. 

De um lado, as lágrimas. De outro, o olhar convicto, destemido e determinado a vencer.

Fiz pensando justamente nisso, no quão difícil foi chegar até aqui. E o pior: a briga ainda não terminou.

Vai acabar, é claro, mas num mundo comandado pelo PILA as obrigações e os sonhos dependem de muito esforço, da atitude de nunca desistir. Por isso mesmo, repito: a briga vai terminar.

O quadro abaixo é o resultado do que eu quis transmitir. Não sou pintor nem artista plástico, tampouco considero-me artista. Sou jornalista e tento explorar ao máximo as palavras. Desta vez, eu consegui dizer muito mais com o significado das imagens. O único ingrediente que não mudou foi o do coração.



domingo, março 13, 2016

Bom coração


É oficial: precisamos nos cercar de boa gente.É, literalmente, cada um por si. Na rua, quase ninguém está gritando,...
Publicado por Pedro Henrique Costa Krüger em Segunda, 29 de fevereiro de 2016

quinta-feira, janeiro 14, 2016

Sem o mesmo "chão"

Hoje, aquele “chão” não existe mais. Feito a base de tijolos e argamassa, pulamos juntos em muitos momentos. Até mesmo no temporal. 

Conseguimos comemorar tantos lances e vitórias... Foram incontáveis! Inesquecíveis! 
Na tela, na bancada ou em frente à televisão. 

Não sei o que fazer agora, mas eu faria tudo novamente. Afinal, como não repetir o sorriso e os olhos brilhantes sob a chuva pesada? 

Aquele “chão” não existe mais. Será reconstruído. Mas em minha memória, sempre vai (e vamos) continuar de pé.

11 de janeiro de 2016 - 02h17min.